quarta-feira, 5 de agosto de 2009

O palhaço está de volta..


Às vezes, enquanto ouvimos uma música triste ou reparamos na paisagem urbana caótica de São Paulo durante um de seus vários momentos de engarrafamento, nos colocamos a pensar sobre como a nossa vida está difícil. Nesses instantes reflexivos, todo o incômodo e insatisfação que nos cerca afloram, deixando um rastro de decepção e desânimo.

Essa sensação de incapacidade diante dos rumos que minha vida levou até o famigerado instante, tem sido minha "parceira" a mais tempo do que eu próprio gostaria.

Porém, ontem, uma grande amiga me fez abrir os olhos e perceber que o mundo é repleto de outros seres. E esses, por sua vez, também possuem uma trajetória quase sempre tão conturbada quanto a minha.

Eu sempre fui um tipo de pessoa que gosta de ver as pessoas contentes. Torço muito por aqueles que me rodeiam. Muitas vezes, faço de seus momentos felizes (já que a felicidade não existe!) meus momentos também. Quando os vejo tristes, brinco, faço piadas, tiro sarro, faço de um tudo para ver ao menos o esboço de um sorriso.

E, não faz muito tempo, falei aqui sobre o fim da percepção desse meu lado "altruísta". Talvez, muito influenciado pelo estado de espírito em que me encontrava na época. Porém, mesmo depois de passada essa fase, continuei uma pessoa fria, arrogante, sozinho no meu mundo e pouco me importando para o restante do universo.

Mas, como eu disse, ontem foi diferente. Primeiro pelo clima que se formou antes da apresentação de TCC de outra "Very Special Person". Me senti de volta ao meu primeiro ano de graduação, quando ir até a faculdade era um prazer compartilhado por muitos. As gargalhadas, as zoeiras inofensivas, a amizade acima de tudo. Segundo, pela apresentação da "Very Special Person". Eu me senti feliz por ver que o seu esforço foi reconhecido e, merecidamente, recompensado. Sensação que, como também já falei, não sentia há muito tempo.

Daí, para fechar a noite, essa amiga que já citei, durante uma longa conversa, me mostra que meus problemas e encucações não passam de meros cortes superficiais. Feridas que cicatrizarão com o tempo.

Enfim, me fez pensar muito. E, pela primeira vez na minha vida, resolvi fazer um planejamento a longo prazo. Se ele der certo, meus problemas irão desaparecer.. para dar lugar a outros.. rsrs Mas, o importante mesmo é que, novamente, sinto alegria por ver meus os ganhos alheios. É muito bom estar de volta.. completo.

H (é dez.. com louvor!)

2 comentários:

Juliana Almeida disse...

:-)

bjs.

Ju

Aga(menon) disse...

Se entregou.. tá vendo!?

rsrs

Bjs