segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Sina de ser brasileiro



Brasileiro é um povo que cobra muito. Valoriza somente o resultado final, não importando como foi o caminho até seu vislumbre. Em outras palavras, a quantidade de suor não interessa desde que venha acompanhada de algo satisfatório.

Provavelmente, venha daí aquela premissa alcunhada de “jeitinho brasileiro”, quando o importante é sempre levar uma vantagem sobre alguém em alguma situação. De preferência, com o menor dos esforços.

Claro que eu não estou me referindo somente as inúmeras modalidades esportivas, mas no todo do convívio humano-social. Pois é, mister gringo, não é fácil ser brasileiro. A pressão para se obter um bom resultado é enorme!

Um dos motivos que considero o mais provável e, ao mesmo tempo, o menos justificável, é aquela mania "supra-auto-depressiva" de se intitular como um “povo sofrido” desde o começo. Uma nação com excesso de talento, mas falta de incentivo.

É uma verdade, com certeza. Porém, também acho que o maior incentivo deve partir do seu próprio semelhante; daquele que não lhe conhece, mas que, num ato de altruísmo, torce pelo seu esforço, pela sua garra, independente do resultado final. Por quê? Porque ele sabe que você fez o melhor que podia, não se acovardando atrás de uma negativa pseudo-máscara conformista.

Por isso, acredito que Rubens Barrichello fez o que estava ao seu alcance. Não só durante o Grande Prêmio do Brasil, mas durante toda a segunda metade dessa temporada de Fórmula-1. Foi competitivo, apesar da idade; venceu corridas e obteve outros ótimos resultados, apesar da visível preferência dada ao seu companheiro de equipe. E, principalmente, soube perder com dignidade. Sem aquele choro característico de perdedor, mesmo ciente do mar de críticas que receberia.

Pois é, mister gringo, não é fácil ser brasileiro.


H (Valeu, Rubinho!)

Um comentário:

Rakky Curvelo disse...

Sabe que esse texto me lembrou um velho comentário de um professor de história do colegial? Ele dizia: "O brasileiro foi um povo criado para ser perdedor. Alguém aqui se lembra de um herói brasileiro que tenha GANHADO alguma coisa?".(talvez a Maristela também se lembre disso)

De Tiradentes a Machado de Assis, os nossos verdadeiros heróis nacionais morreram injustiçados...

ótimo texto!